segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Lista dos Novos Deputados da Assembleia da Republica



A COMISSÃO Nacional de Eleições (CNE) divulgou recentemente as listas, definitivas dos nomes dos deputados que irão integrar a nova Assembleia da Republica, cuja investidura deverá ocorrer até 20 dias após a proclamação e validação dos resultados das quartas eleições gerais - presidenciais e legislativas-e das assembleias provinciais do pretérito dia 28 de Outubro.


Maputo, Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2009:: Notícias


No total são 191 parlamentares que ocuparão a bancada parlamentar da Frelimo, 51 da Renamo e oito do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), e cujos nomes julgamos por bem publicar no interesse dos nossos leitores e do público, em geral:


PROVÍNCIA DE CABO DELGADO


Dos 22 mandatos disponíveis no círculo eleitoral de Cabo Delgado, a Frelimo elegeu 19 parlamentares contra os três da Renamo. Assim, o partido no poder fez eleger Eneas da Conceição Comiche, Conceita Sortane, Severina Banze, David Machimbuko, Miguel Mussa, Valéria Mitelela, Filomena Nachaque, Alberto Jacinto Matukutuku, Alberto Jumulate, Afonso Bombeni, Ernesto Lipapa, Julieta Chauma, Maria Bachir, Muanassa Abubacar, Tiago Simba, Sefo Sente, José Mateus Kathupa, Alafo Sufu e Julião Nembe.


A “perdiz” elegeu neste círculo Vicente Ululu, Mussitagibo Bachir e Ruquia Gustavo.


PROVÍNCIA DO NIASSA


No círculo do Niassa estavam em jogo 14 mandatos, dos quais a Frelimo arrecadou 12 e a Renamo apenas dois.
Para a bancada da Frelimo na Assembleia da República foram eleitos Margarida Talapa, Maria Miguel, Caibe Ussene, Augusto Chalamada, Mateus Assane, Flora Meque, Ana Paula Cordeiro, Xavier Chicutirene, Maria Elias Jonas, Carlos Siliya, Eduardo Muaride e Fernando Bilali.
Para o grupo parlamentar da Renamo foram escolhidos Hilário Uaite e Mário Cinquenta Naula.


PROVÍNCIA DE NAMPULA

Considerado o maior círculo eleitoral, Nampula tem à sua disposição no plenário do mais alto órgão legislativo do país 45 assentos, dos quais 32 serão ocupados pelo partido no poder e os restantes 13 pela organização liderada por Afonso Dhlakama.


Neste contexto, a Frelimo fez eleger Manuel Jorge Tomé (actual chefe da bancada da Frelimo na AR), Teodoro Andrade Waty, Lucinda Malema, Alexandre Capitão, Luciano de Castro, Lourenço Sabonete, Catarina Muacamissa, Etelvina Fevereiro, Eduardo da Silva Nihia, Botelho Mário Chuni, Maria de Lurdes Lobo, Albertina Makata, Abel Safrão, Rupião Saide, Maria Álvaro, Francisco Mucanheia, Daniel Cueteia, Marquita Jaime, Palmira Mbanze, Roberto Saide, Carlos Moreira Vasco, Domingos Tavira, Rosa Maiope, Matilde Anchunala, Luciano Augusto, Sónia Maria Mapameia, Adelaide Amurane, Rosário Mualeia, Nelson Nria, Alisa Amina Timóteo, Anacleto Torres Meque e Olímpio Vaz.


Ossufo Momade, secretário-geral da Renamo, lidera a lista do seu partido neste círculo, que se completa com os nomes de Lúcia Afate, Luís Trinta Mecupia, Simão Bute, Irene Joaquim, Maria da Costa Xavier, Zacarias José, Carlos Manuel, Felizarda de Castro, Julião Munhequeia, Fernando Matovazanga, Arnaldo Chalaua e Essa Hussene.


PROVÍNCIA DA ZAMBÉZIA


A par de Nampula, a província da Zambézia também tem à sua disposição no semi-círculo da 24 de Julho 45 assentos, dos quais 26 ficaram com a Frelimo e 19 com a Renamo.


Encabeçada pela actual Primeira-Ministra, Luísa Diogo, a lista do partido no poder na Zambézia comporta os nomes de Raimundo Pachinuapa, Zeca Morgado, Hélder Injojo, Joana Simão, Alfredo Ibraimo, Bonifácio Gruveta Massamba, Nyelete Mondlane (filha de Edurado Mondlane), Fátima Madeira, Jaime Himede, Damião José, Beatriz Murenge, Lucília Hama, Inácia Ngonde, Safi Mohamed Gulamo, Carvalho Muária (actual Governador da Zambézia), Elisa Melo, Nelson Paiva, Lucas Chomera (actual Ministro da Administração Estatal), Domingas Ceia, Alexandre Vicente, Graça Lindo Dinheiro, Caifadine Manasse, João Afonso, Pedro Armando Vírgula e Jacinta Inácio.


Da lista da Renamo foram eleitos Viana Magalhães, Ireneu Muanaco, Maria Martins, Luís Goveia, Armindo Acelece, Madalena Francisco, Victor Mudivila, Leopoldo Ernesto, David Moiane, Elisa Cipriano, José Manteigas, Angelina Camões, José Palaço (presidente do partido FAP), Eva Caetano Dias, Anselmo Victor, Latifo Xarifo, Eduardo Ladria, Simões Mário e Maria Ivone Soares.


PROVÍNCIA DE TETE


Com 20 assentos no Parlamento, o círculo eleitoral de Tete fez eleger 18 deputados da Frelimo e dois do maior partido de oposição nacional – a Renamo.


Na lista da Frelimo figuram os nomes de Eduardo Mulémbwe (Presidente da AR), Paulina Nkudo, Joana Anacleto Vasco, Oreste Bustani, Castro Qualquer Ntemansaka, Matias Nhongo, Maria Marta Fernando, Sofia Cussaia, Tomás Mandlate, Manuel Vasconcelos Maria, Ana Antónia Dimitri, Luísa João Simão, Azevedo Mussimpora, Akele Paulo Katet, Ermelinda Rodolfo, Damião Banda, Ana Maria Rafael e Guilherme Uissiquete.


A Renamo estará representada neste círculo por Francisco Maingue e Albano José.


PROVÍNCIA DE SOFALA


Sofala é um dos dois círculos eleitorais que ficou “dividido” em três partes, ao aparecer na lista dos 20 deputados eleitos parlamentares propostos pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM), de Daviz Simango, edil da Beira, e dos dois candidatos derrotados na eleição para a Presidência da República.


Dos 20 assentos em disputa, a Frelimo conquistou 10 e a Renamo e o MDM repartiram, por igual os restantes dez.


Assim, a formação do “batuque e maçaroca” elegeu Alberto Chipande, Alberto Vaquina (actual governador da província), Joaquim Veríssimo, Angelina Nchumaili, Antónia Charre, Jaime Neto, Zezinho José, Maria das Dores de António, Ana Simante e Francisco Caetano Madeira.


O MDM elegeu Eduardo Elias Augusto, José Manuel de Sousa, Lutero Chimbirombiro Simango (irmão do líder do partido), Geraldo Carvalho e Agostinho Ussore.


A Renamo, por sua vez, “meteu” na AR Manuel Pereira, Fernando Mbararamo, Francisco Machambisse, Pedro Chichone e Rosa Mafunda Sitole.


PROVÍNCIA DE MANICA


Na corrida para o preenchimento dos 16 assentos disputados no círculo eleitoral de Manica, a Frelimo ocupou 12 e a Renamo quatro.


Nos 12 assentos do partido no poder constam os nomes de José Pacheco (actual Ministro do Interior), Maurício Vieira (governador provincial), Tobias Dai, Francisca Tomás, Amílcar Hussene, António Amélia, Salma Alexandre, Leonor Pedro Sambai, Helena da Glória Muando, Adriano Tesoura Passandura, Tânia Elson Canhemba e Inácio António Nunes.


Os quatro deputados da Renamo escolhidos são Albino Muchanga, Saimone Macuiana, Maria Angelina Dique Enoque e Aida Massangaíce.


PROVÍNCIA DE INHAMBANE


Com 16 lugares em disputa, o círculo eleitoral de Inhambane manteve a tradição de a Frelimo eleger todos com a excepção de um assento que vai sempre para a Renamo, isto desde as primeiras eleições gerais multipartidárias realizadas em 1994.


Assim, os eleitos da Frelimo são Aires Bonifácio Aly (Ministro da Educação e Cultura), Mário Sevene, Gildo Muaga, Virgília dos Santos Matabele (Ministra da Mulher e Acção Social), Sabina Bicá, Sebastião Dengo, José Chuquela, Ana Rita Sithole, Carlos Panguana, Filipe Jaime, Judite João, Cidália Chaúque, Dário Machava, Abílio António e Jerónimo Agostinho.


A deputada eleita da Renamo neste círculo eleitoral é Gania Aly Manhiça.


PROVÍNCIA DE GAZA


Tal como em Inhambane, a tradição voltou a vincar neste círculo, onde a Renamo não consegue eleger nenhum deputado.


Neste contexto, a Frelimo “ocupou” os 16 mandatos disponíveis ao eleger Alcinda Abreu (Ministra para a Coordenação da Acção Ambiental), Edson Macuácua, Juvenália Muthemba, Margarida Chongo, Ricardina Mazive, Regina Muchanga, Joaquim Mondlane, Daniel Matavele, Sabina Fache, Arminda Vombe, Félix Sílvia, Benardo Macamo, Justino Langa, Tsoquisse Munhiwa, Danilo Ragu e Manuel Bendzane.


PROVÍNCIA DO MAPUTO


Mais uma vez o partido Frelimo demonstrou a sua supremacia a nível deste círculo eleitoral ao não “deixar” a Renamo ir para além do já habitual um dos 16 deputados a eleger.
Tal como nos pleitos anteriores, a Frelimo elegeu todos os deputados do círculo, com excepção de um lugar que coube a Renamo que fez eleger José Manuel Samo Gudo, que substitui António Muchanga.


Da lista apresentada pela Frelimo constam os nomes de Verónica Macamo, Edmundo Galiza Matos Jr., Eulália Atibe, Beatriz Gama Ajuda, Telmina Manuel Pereira (governadora da província), Sábado Marenja, Zacarias Chivavi, Milagrosa Langa, Manuel Chang (Ministro das Finanças), Casimiro Huate, Suzete Dança, Ângelo Tai, Faustino Uamusse, Faruk Osman e Joana Mondlane.


CIDADE DE MAPUTO


Na capital do país os mandatos subiram de 16 para 18 assentos. Neste círculo, a Frelimo levou a melhor ao conseguir 14 assentos, posicionando-se o MDM em segundo lugar ao eleger três parlamentares e a Renamo com apenas lugar.


Os 14 parlamentares eleitos para a bancada da Frelimo são, nomeadamente, Aiúba Cuereneia (Ministro da Planificação e Desenvolvimento), António Niquice, Margarida Salimo, Elvira Mabunda, Isadora Faztudo, Roberto Chitsondzo, José António Chichava, Carolina Chemane, Henrique Mandava, Alcido Nguenha, Angelina Mavota, Maria Ema Cassimo, Carlos Sabonete e Danilo Texeira.


Da lista dos eleitos do MDM na capital do país constam os nomes de Imael Jamú Mussa, Lucinda da Conceição e Agostinho Macuácua.


A Renamo fez eleger o mágico e ilusionista António Timba.


ÁFRICA E RESTO DO MUNDO


Nos dois círculos eleitorais da diáspora a Frelimo conseguiu suplantar a concorrência de todos os partidos ao eleger os dois deputados pretendidos. Do círculo de África o eleito foi Crisanto Naiti e do círculo da Europa e Resto do Mundo o escolhido foi Rui Conzane.


“NOTÁVEIS” NOS SUPLENTES


Nas listas de deputados suplentes da Frelimo e da Renamo para os diversos círculos eleitorais, figuram alguns notáveis de cada um dos partidos, como são os casos de Teodato Hunguana, Ussumane Aly Dauto, António Hama Thay, Virgínia Videira (na Cidade de Maputo) ou ainda Arnaldo Bimbe (governador do Niassa), Alfredo Gamito, Abdul Razak Noormahomed, Maria Helena Taipo, Dionísio Cherewa (Nampula); Salimo Abdula, Palmira Francisco (Zambézia); Açucena Duarte, Domingos Viola (Tete); Isau Menezes (Sofala); Zacarias Vuma e Francisco Braz (Gaza).



Da lista de suplentes da Renamo constam os nomes de Eduardo Namburete, Fernando Mazanga, Rahil Khan (Cidade de Maputo); Ismael Lalá, António Muchanga (província do Maputo); Freitas Tiquila, Daúdo Faz-bem, Rajá Rajá (Zambézia); Francisco Domingos, Rui de Sousa, Bernardo Fernando (Tete); Fernando Carrelo, António Campira (Sofala), entre outros.

6 comentários:

Nero Kalashnikov disse...

Vao ser 5 anos nas maos destes senhores escolhidos pelo Povo Mocambicano. Eles que se lembrem sempre disso e que nunca nos de^m motivos para nos arrepender-mos.

E viva la democracia.

PS: Ha duas semanas que nao vejo teus textos no jornal Escorpiao! Muita ocupacao?

Cheers

Custódio Duma disse...

Ya...meu boss,

Esperemos que durante os cinco anos possamos ser bem representados!

Há tb espectativas em relacao ao Presidente da Casa..

Dei uma pausa do Scorpiao...proxima semana to de regresso.

Thanks pela saudacao e um abracao para ti e teu irmanito...

Matusse disse...

Pela vossa maneira de tratar das questões jurídicas eu vos propunha acessores jurídicos da AR. que acham?

Mano Duma.
Não há possibilidade de passar a escrever para um outro jornal? ESCORPIÃO, me parece não merecer os teus escritos.
Alí,o nível de jornalismo está abaixo da sua coluna. O jornal sem teu trabalho fica vazio.
Pense nisso.

Custódio Duma disse...

Hehehehe...se o convite vier da propria AR...até que aceitava sabes mano Matusse?

Opa, há muita possibilidade de escrever pa os outros...mas eu pensei que era bom dar uma maozinha aos nossos amigos do Escorpiao.

Vamo la ver!

Anónimo disse...

Zé Pedágio

Matusse disse...

Por onde andam nossos juristas!
Ví algo incrível na TV.
Um senhor é transferido da sua conta 150 mil meticais por um suposto falsificador e o banco não se responsabilisa. É assim mesmo? Ainda adianta confiar nestes bancos?