terça-feira, 20 de outubro de 2009

O Medo, o Voto da Alice Mabota e o Texto de Nkutumula!



Eu sou um cidadão que se recusa a viver sob o jugo do medo. Não aceito, não aceito e nem quero que alguém me tente. Sei que posso e devo ter algumas limitações no exercício das minhas liberdades, contudo, sei que essas limitações não devem ser por medo nem por aprisionamento, mas por respeito e solidariedade. A máquina social só funciona se os humanos viverem e conviverem na base de respeito mútuo, solidariedade e fraternidade.

Quando comecei a perguntar o porque dos muitos anónimos e muitos comentadores de identidade falsa, as respostas vieram ao de cima. Muitas bem interessantes e algumas tinham a ver com o medo: as pessoas não assinam seu nome por medo de represálias, por medo de serem excluídas.

Outras respostas eram mais do tipo racional e faziam apologia das liberdades individuais, segundo as quais o homem era livre também de se esconder por de trás de uma máscara e dar a sua opinião. Ninguém é obrigado a falar o que quer de forma aberta, pode por tanto inventar um pseudónimo ou um heterónimo, como também inventar de ser anónimo.

Concordei com todas as explicações, mas não aceito que alguém que aparece no anonimato venha com insultos e aqui foi onde eu afirmei que esses anónimos parecem usar o velho truque da avestruz, que escondendo a cabeça fica com a ilusão de que o corpo também está escondido.

Mas o mais importante nisso tudo é que, realmente, todos podem usar do anonimato. Alguns até, aparecem como anónimos e depois, assinam os seus textos com seus verdadeiros nomes. Estes não são anónimos. Outros aparecem com heterónimos ou pseudónimos mas de certa forma já se identificaram e nós os conhecemos, tanto que a ninguém insultam, pelo contrário, manifestam livremente as suas opiniões. É o caso do Reflectindo, do Nero, da Ximbitane e outros.

Vejo entretanto que ao provocar o debate muita coisa foi levantada e uma delas tem a ver com as consequências do exercício da nossa liberdade. Mais do que os anónimos, heterónimos e pseudónimos, vive no nosso inconsciente o medo das consequências pelo uso pleno das nossas liberdades e o sabe melhor o meu amigo Alberto Nkutumula, que escreveu no seu blog: “Nero Kalashnicov” sobre a “Declaração de voto da Maria Alice Mabota: Afronta ou Infantilidade?”

Vejo nesse texto do meu amigo, (que agora que escrevo, deve ter retirado o post do blog), de certa forma uma ameaça ou advertência a Maria Alice por ter dito publicamente que não havia de votar nem na Frelimo nem no seu candidato. O meu amigo chega até a questionar a sobrevivência da Liga dos Direitos Humanos no próximo mandato, numa profecia exacta de que a Frelimo e o seu candidato vão ganhar as eleições e que todos os que votarem contra eles não vão conseguir sobreviver. Nkutumula fala de atravessar o deserto.

Eu estive no debate, também senti-me traído pelo Presidente Chissano, porque acho muito estranho, que alguém desse tamanho, chame juristas: juízes, advogados, procuradores e outros, para que eles subam ao podia e declarem o seu compromisso de votar na Frelimo. Se eu tivesse sabido que a intenção era essa eu não iria. Mas fui porque não sabia e porque respeito Chissano. Não me lembro de ter visto lá o Nkutumula, se ele estivesse lá, teria visto a palhaçada que lá dentro aconteceu.

Na tal lista de pessoas que eventualmente não vão votar na Frelimo, estão muitos outros juristas que no final do encontro vieram saudar a Alice pela coragem e afirmaram categoricamente que também queriam dizer o mesmo mas não o fizeram por medo. Bem, acho que a Alice já tinha dito em nome deles, mas o mau foi de terem subido ao pódio para dizer uma coisa enquanto intentavam outra.

Na tal lista de pessoas que eventualmente não vão votar na Frelimo e no seu candidato, estão todos os membros de outros partidos, incluindo o meu amigo Azagaia que já apareceu publicamente a oferecer seu voto a MDM, tanto que era cabeça de lista pela Província de Maputo. O texto de Nkutumula, ameaça a todos estes e os coloca numa situação muito delicada, no deserto, onde poderão não sobreviver porque com a Frelimo não se brinca.

Sei que a intenção do meu amigo não era de ofender nem de ameaçar a todos esses que directa ou indirectamente já mostraram que não vão votar na Frelimo e seu candidato, mas acabou ele, revelando dados muito interessantes, primeiro que a Frelimo vai ganhar e que esses dessa lista da Mabota que se cuidem, porque o deserto que vão atravessar é penoso. Segundo, que neste país, ideias contrarias só podem advir de inimigos, que na sequência, devem ser abatidos. É um texto que me assusta, devo confessar.

Entretanto, esse é que é o nosso verdadeiro cenário político em que o Estado, que devia ser de direito é de medo e cria anónimos. Cria pseudónimos e heterónimos. Sinto pena do cidadão moçambicano, pois que, ainda precisa de conquistar a sua liberdade: a liberdade de consciência, a liberdade de voto, a liberdade de expressão, a liberdade de escolha. A liberdade de ser. A liberdade de ser livre!

28 comentários:

Noa Inacio disse...

Mano Duma,

Ja ouviste falar de comentar por comentar, e o que faco aqui, nao estou a par nem do que aconteceu aos jusristas nem das.... do Nkutumula, mas se venderam gato por lebre nao podemos aplaudir, sobre o voto da Dra e dos outros sera sempre secreto independe das delaracoes publicas, lembro-te que ela ja tinha dito publicamente que ja nao tem idade para mudar de partido que mesmo sem cartao tinha a Frelimo no coracao.

Abraco

Nero Kalashnikov disse...

Brada Duma,

Gostei do teu texto. Apaguei o meu mas o reproduziste aqui. Fechei o debate lá e abriste-o aqui.

Se puderes, quando eu me identifico como Nero, agradecia que te referisses a mim como Nero. Todos sabem quem é o Nero.

Na blogosfera sempre me tratas por Nero. Surpreende-me que agora me trates pelo meu apelido. Haverá alguma intenção de atrair um grande número de comentários através da citação do meu apelido?

Eu apaguei o texto justamente porque não queria que o debate fosse levado para a direcção que estás a levar.

Não sei se pretendes que se debata a liberdade ou o Nkutumula. Se o objecto do debate for o Nkutumula, agradeço pela promoção.

Brada Duma, eu amo a liberdade. E desejo que todos sejamos livres. Não livres apenas nas nossas cabeças. Livres aos olhos dos outros.

Desejo um bom debate sobre este texto, cujo título é o meu apelido. Vai ser o teu post mais comentado. Estou em alta mesmo...

Um abraço. Um abraço sincero.

Nelson disse...

Se entendi bem o texto de Dumas e o comentário de Nero acho qu:
1. A ideia que tenho de “reproduzir” um texto é diferente da do Nero. Não sei qual de nós dois está certo.
2. Nero se “arrependeu” de ter escrito oque escreveu.
3. Nero dá uma importância, quanto a mim, grande demais, ao número de comentários que um post gera.

Custódio Duma disse...

Nero, posso agradecer por teres passado por aqui e teres deixado teu comentario e acatar seu apelo de tratar o Nero quando é Nero e Nkutumula quando é Nkutumula..

Quanto ao resto...escuso-me de comentar. Mais do que eu, voce entende melhor das coisas.

Noa, nuca há comentar por comentar...de todas as maneiras a mais pura verdade é que o voto é secreto!

Nelson, não há duvidas de que o Nero se arrependeu...retirou o seu texto...mas eu e muitos outros já o tinhamos lido e alguns comentado...o blogger registou...voltei a ler...e este é o meu comentario!

zenaida disse...

Ola Duma

Eh um prazer visitar o teu blog....e desta vez deixar um comentário...

Eu li a postagem do Nero...e confesso que quando me preparava para ir lá comentar, apercebi-me de que o texto não estava lá. E é compreensível que o mesmo já lá não estivesse. O Nero apercebeu-se que as suas mãos foram mais rápidas e estavam mais perto do computador...do que a sua capacidade de discernimento que veio tarde, mas veio...

Também não concordei com o teor do texto, que me pareceu ter um tom de ‘ameaça’. Entretanto, o texto já não está mais lá para que possamos aprecia-lo e comentar livremente e com sabedoria... Isso mesmo! Já não está mais lá...

Eu penso que devíamos respeitar a decisão do Nero de retirar o texto do blog... (espero que tenhas entendido a minha ideia)

CHAUQUE disse...

calma nero, li o texto no nero, e quando fui para comentar...zas ja nao estava la,e perguntei o que trá acontecido com o tema,claro que respondeu-me,teve as suas razoes para retira-lo, quem sou eu para o condenar, confesso que fiquei assustado com o tema, e os 3 comentarios que la estavam ja previam mau tempo, sinceramente falando , se ha que tenha lido os comentarios sabe dok estou a falar

Dr Duma, nao transferiu o tema pra este blogue, apenas deixa transparecer o seu comentario quanto ao tema em causa, de certeza que teria comentado da mesma maneira no nero, ao querer comentar sobre o tema e nao encontrou-o comentou-o no seu blogue, nao quiz deixar passar o comentario,por mim tudo bem

e partilho a mesma opiniao em relaçao ao seu ponto de vista, escrevi algo parecido como comentario, so que ficou comigo,


Alias isso acontece nos nossos jornais semanarios, por exemplo, o MAGAZINE reporta um assunto que envolve o X ou Y,num assunto polemico, na semans seguinte o acusado responde no jornal ZAMBEZE,pra mim é aceitavel

Dizer que a Dr Alice Mabote, tem as suas razoes do que disse, e nao quistionemos os seus pronucionamentos parabens pela coragem e por ter dito em publico,

amosse macamo disse...

Penso que vivemos numa sociedade de extremos, onde ou ganhamos ou perdemos e nunca nos preocupamos com o meio termo, a temperança(Duma, nosso MESTRE ensinou isto).
Quando o Nelson diz que o Nero se arrependeu e meu amigo Duma aceita, é porque antes de escrever este post, já tinha consciência disso.
E o meu questionamento: ante o arrependimento do Nero, qual foi a postura do Duma?
Por outra se Nero mudou de postura em relação ao texto e retirou-o da circulação porque haverá a necessidade de ir buscá-lo e ademais, rebaté-lo até com quem não teve acesso ao mesmo e que por isso não criou nenhum juízo valorativo sobre o mesmo?
O Duma diz e bem no seu post, que acha que Nero não quis ameaçar ninguém, e o meu questionamento: porquê não saneou o amigo Duma o pensamento do Nero, no sentido de Odiosa restrigenda e favorablia ampliandi? E já agora, quais as partes favoráveis do post do Nero?
O que quero dizer com todas as perguntas que levantei amigo Duma, é que, nós estamos num jogo em que só nos interessa ganhar ou perder e não procurar o equilíbrio, o bom senso, aliás, o mesmo que os demais exigiam da CNE e CC. Se no micro não aceitamos o bom senso, como o poderemos exigir no macro?
Se o Nero retirou o texto, não teria de certa forma mostrado bom senso? Porquê vamos buscar o que a maioria nem sequer viu e se viu perdeu a oportunidade de comentar porque o autor retirou o post.
P.S. 1. o mais sensato neste exercício, seria o caso de Duma ter feito copy paste do texto de Nero, porque ai, teriamos a oportunidade de ver o seu pensamento não como juízo firmado do que Nero escreveu, mas sim o que realmente ele escreveu e nós, quiçá, talvez chegaríamos a mesmíssima conclusão que Duma: que o Nero, escreveu num tom ameaçador(e se o dizes não duvido), mas seria bom que fóssemos nós a chegar a essa conclusão.
2. Penso também que uma ameaça só é válida, se feito por alguém com poderes para constituir ameaça.
3. se o tom do Nero foi de facto ameaçador declino isso e muito, porque ninguém o deve fazer e sob qualquer pretexto e não alinharei com ele nunca nas ameaças(mas não as vi, embora não duvide de quem as viu).

Nero Kalashnikov disse...

Como eu havia dito. Este post visa falar de pessoas. Em concreto: Falar de mim.

Fico cada vez mais claro sobre a concepção de liberdade que muito se advoga aqui e em certos círculos.

Zenaida e Amosse, muito obrigado pelo vosso esforço em chamar as pessoas à razão. Eu errei ao escrever aquele post e, voluntariamente, retirei-o.

Noto agora um esforço de alguns ressuscitarem o fantasma para atingir-me. Porque é que me atacas Duma? Porque é que me atacas Nelson.

Se eu tivesse mantido o texto até perceberia. Mas, depois de retirá-lo, sinceramente compatriotas, esta autoflagelação da juventude só serve para nos dividirmos.

Qual é a nossa missão afinal?

Custódio Duma disse...

Ola,
Vou comecar por dizer ao Macomo que o nosso mestre ensinou-nos muita coisa, sendo uma delas a coerencia.

O meu texto nao é um ataque ao Nero nem um comentario ao texto dele. Levanto no texto 3 situacoes, sendo que duas delas estao a ser ignoradas.

É verdade que o Nero retirou o texto, nao tenho nada contra isso. Mas eu ja tinha lido inclusive os comentarios de outros leitores, alias, o blogger (o servidor do blog) registou e mantem o registo.

E sobre essa coisa de textos postados e deletados deixe-me colocar aqui um pouco do que a Teoria do Caos diz:

“o que as pessoas pensam que é acaso, na realidade, é um fenómeno que pode ser representado por equações. Assim, uma pequena variação em determinado ponto de um sistema dinâmico pode ter consequências de proporções inimagináveis, como por exemplo, o bater de asas de uma borboleta em Tóquio que pode provocar um furacão em Nova York.”

Eu nao estou em nenhum jogo...nao quero ganhar nada nem quero perder nada. Quero viver a minha vida de forma mais plena que eu posso. Sendo um homem livre como nasci, sem medo de ser condenado pelas minhas ideias e escolhas!
As vezes tentamos aceitar isso dos outros, mas quando temos oportunidades mostramos que o nosso mundo é um cerco muito pequeno e controlado por algumas pessoas. Eu quero estar fora desse cerco. Quero viver num mundo onde o meu espirito pode voar plenamente e como a águia respirar o ar puro.

Por isso nao ataco ao Nero, nem a nenhum outro intelectual. Mas tenho o direito de exigir a minha liberdade e a liberdade da humanidade!

Sobre o seu PS Macamo, podes pedir o texto ao Nero ou ao blogger.

Sobre o que disseste de ameacas prefiro nao dizer nada.

Continuo a dizer que tenho medo de posicionamentos como daquele texto. O facto de nao existir mais no blog nao significa que o pensamento foi deletado. O pensamento pode ainda continuar e pode aparecer de várias outras formas. Porque aquele texto foi escrito por alguem com lucidez sobejamente conhecida e reconhecida.

Zenaida, concordo contigo e respeito a tua opiniao, tanto assim a decisao do Nero, entretanto o meu texto está aqui.

Para terminar, gostaria de deixar claro que nunca postei aqui um texto a espera de comentarios e este caso concreto nao o foi por comentarios.

Nunca te atacaria meu caro amigo Nero...nunca mesmo...nao ganharia nada com isso...como disse ao Macamo eu nao estou aqui para lutar com as pessoas!

As minhas lutas estao muito acima de atacar Nero ou uma outra pessoa!

Penso ter deixado aqui o suficiente.

amosse macamo disse...

Sei que percebeste onde eu queria chegar amigo Duma, (e eu percebo e bem o seu ideal de vida), sobre a liberdade e mesmo para provocar a sua sempre presente veia filosófica, permita-me que lhe faça um questionamento: ser livre ou sentir-se livre? (não preciso de lembrar a ideia de liberdade do homem carcerado, do escravo perante seu senhor, agora; ser livre em relação a quem?
P.S. não estou preocupado com respostas meu amigo, porque aprendemos(e repito do nosso MESTRE), que vezes há em que vale a pena questionar, somente.
Sobre os dois temas, anonimato e liberdade, já tinhas escrito algo sobre isso(e eu comentado) e penso que foram chamados, para reforçar o último (o tom ameaçador do Nero)
O que me dizes caro Duma, ao facto do Nero afirmar que errou e por isso mesmo retirou o post?
Um abraço amigo Duma, um sincero e coerente abraço

Nero Kalashnikov disse...

Duma,

Não me atacaste. Aceito. Mas aceite, em nome da liberdade que defendes, esta verdade: eu senti o ataque. Senti-me atacado e já havia uma tendências de um ataque grupal.

Estamos juntos, caminhemos unidos e defendamo-nos uns aos outros para sermos uma só força. Juntos estaremos mais aptos para assumir as rédeas deste nosso Moçambique.

Sempre que um de nós cair, não nos precipitemos em enterrá-lo. Ajudemo-lo a reerguer-se e a reencontrar o caminho.

Esta luta é nossa. Nossa. Pedra a pedra construiremos um novo dia. Cada um de nós é uma pedra. Se as pedras não se unirem, não passarão de pedras.

Um abraço meus irmãos

Jorge Saiete disse...

Duma, Nero e Macamo eu admiro a todos vos.Admiro a forma como nos ensinam o direito mas acho que é tempo de vos ensinar um pouco de gestão. De gestão sim, a minha area, e no fim da aula verão quão importante é ver as coisas do ponto de vista de um manager. Aceitam? Se aceitam, proponham o dia e um local em que nao nos sujeitaremos aos balões posicionadosa nas estradas.
ps: Macamo leve consigo o Alberto Mutxeca para nos contar as suas indispensaveis estorias da vida. abraço

amosse macamo disse...

eu aceito Saiete e levarei sim o Mutxeca com o respectivo "pneu de mabor", "bateria de Tudor", e "Gasolia de Petromoc", para o meu mova. um abraco

Custódio Duma disse...

Saiete,

Nada melhor que uma outra mente para iluminar os irmaos!

Vamos marcar!

Basilio Muhate disse...

Sinto saudades dos encontros dos bloggers...onde mistura-se debate com uma boa risada e abraços.
nobody is attacking nobody here as i can see...Duma ficou preocupado com palavras como Deserto, Vitória...Nero ficou preocupado com expressões como Nkutumula, ameaça, deserto.

Fiquem frescos manos, estamos num país democrático e livre, não haverá deserto para ninguem...

Nero Kalashnikov disse...

Saiete,

Estaremos em peso. Aguarde-nos.

Um abraco

Nyikiwa disse...

Caros amigos,

Eu entendo que a blogosfera e um espaço onde devemos discutir ideias e nao pessoas. Se alguem entende retirar um texto seu, esta dentro do seu direito.

Creio que se o meu amigo Nero retirou o seu texto, e porque de alguma forma sentiu que ele nao estava a ter enquadramento ou por outro motivo, que so ele pode dizer.

Matusse disse...

Já está expresso e é difícil não comentar para quem viu e leu o texto como eu. Eu já havia "advertido" ao Nero que aquelas escritas não tinham o saber a que nos habituou e ele, sabia e humildimente, respondera que escrevera o texto depois de uma "fadiga ou stress", por ai. e que reconhecia que o conteúdo não se identificava com ele.

Quero aqui dar forças ao Nero. Pela coragem que muitas das vezes nos tem faltado, de reconhecer um erro. PARABENS!

Caro Duma, por ti também reconheço que o "apagar o texto" não significava - retirar a ideia, já foi lançada- e possivelmente estaria na 4x4 para atravessar o deserto. Mas, mano, o "nosso Nero" já reconheceu o erro, PERDOA.
Vois sois jovens de referencia para nós outros. Acredito que em momento certo e usando meios apropriados, saberão ultrapassar isto-voces podem se contactar um ao outro. Nem precisam postar comentarias de reconhecimento dos erros.

PONHAM PEDRA NO ASSUNTO.

Vamos debater outras ideias que nos habituaram.

Força Nkutumula e Duma

zenaida disse...

"Sempre que um de nós cair, não nos precipitemos em enterrá-lo. Ajudemo-lo a reerguer-se e a reencontrar o caminho..."

Ah Nero... Não exagera também!!!
O Duma já te entendeu...

Nero Kalashnikov disse...

Zenaida,

Tens razão. Exagerei. Please, forgive me.

Duma é meu irmão. Nós nos batemos aqui e tomamos um copo na minha casa.

Não te preocupes. Descontrolei-me. Agora fizeste-me sentir culpado por tudo isto...

Haja paz. Mas que o debate não morra.

Matusse,

Estou inteiramente de acordo contigo. A luta continua. Bom, há um post sobre o dia africano dos direitos humanos.

Vou lá comentar

Nilza disse...

Olá Duma e amigos

Entrei só para vos desejar um bom final de semana e dizer que também passarei a interagir aqui onde acho que se debatem assuntos de forma muito interessante.

Duma tenho visitado este blogue para muitos efeitos mas só agora decidi me infiltrar.

Até apróxima

Nilza Chipe M.

Custódio Duma disse...

Bem vinda querida amiga...

este lugar é seu também..

Bom final de semana

Cocktail Molotov disse...

Eu também quero me infiltrar, não só nesse, mas em todos os blogs. Posso?

Nilza, gostei de ver-te na STV. Falaste bonito

Maquiti disse...

Terrível! Deprimente! Avassalador! Dramático! Sinistro! Maquiavélico! Neste momento, estou num terrível trilema:)

Uma tactica inteleginte do Nero e Duma

O Nero escreve bujardas...arrepende-se e apaga a porra...

O tema é reeditado num outro ar no blog...

O Nero para não pedir desculpas no propio blog, as desculpas acontecem aqui, e num blog dum ex-colega da Alice Mabota...

Enfim...triste não podemos comentar só por comentar, não é falando bujardas que seremos famosos na blogosfera...


M

Nelson disse...

Maquiti da para entender que gostas de makas. Querias mesmo 'e que a briga continuasse

Maquiti disse...

Claro que não, mas tambem dá para entender o truque...


Hehe

M

Custódio Duma disse...

Maquiti...em definitivo nao te entendi...vais perdoar-me!

NB..Eu continuo colega da Alice Mabota e continuo a comungar dos mesmos principios!

Chacate Joaquim disse...

Aló duma! (in)felizmente não li o exto do Nero. mas devo dizer uma coisa, eu admiro este rapaz. é que com toda a dificuldade de assumir a imparcialidade parece que o berso e a educação formal pesam mais que a sua pertensa partidária por isso ele facilimente reconhece os erros! Espero que não mude Nero.