domingo, 10 de maio de 2009

A Semana 3: De Cahora Bassa à Zuma uma Série de Perguntas.



A semana que finda, foi marcada por dois acontecimentos de grande vulto. O primeiro é nacional e tem a ver com a Cahora Bassa, a barragem hidroeléctrica situada na província de Tete e que agora é nossa. A segunda tem a ver com a tomada de posse de Jacob Zuma, o quarto presidente sul africano desde o fim do Apartheid na década 90.

Embora se insista que houve sabotagem, até agora ninguém consegue provar a tal sabotagem de Cahora Bassa. Ao lado do que se diz e se supõe, saiu a tona que os implicados são guerreiros de uma corrente que acredita na protecção e na purificação através de mineiros e em Tete, só estavam a fazer que várias vezes fizeram no país e em outras partes do mundo.

Os quatro entraram no país legalmente, embora com os produtos e equipamentos que hoje lhes incriminam. Mais do que acusar os caras é preciso ver a nossa capacidade de prevenir o crime e garantir a segurança. Nem a SISE que é famosa ficou a saber do que estava a acontecer. Suponho que a polícia só ficou a saber do web site dos quatro acusados, quando a mídia e os blogs começaram a analisar os factos.

Enquanto o país se debate com questão Cahora Bassa, a África saúda a tomada de posse de Jacob Zuma como o quarto presidente negro sul africano. Embora vítima de várias acusações por alegados escândalos financeiros e sexuais, Zuma parece ter conquistado a confiança do povo sul africano e de muitos líderes africanos. Notou-se na pomposa festa da sua tomada de posse a ausência dos líderes não africanos.

Robert Mugabe, a quem Zuma acha que deveria resignar a ambição pelo poder, fez-se presente a saudar o seu homologo, este que é agora o presidente mais importante da região senão da África toda. Espera-se que o Zimbabwe consiga acertar as suas agulhas com o JZ.

O populismo de Zuma pode muito bem rimar com as presidências abertas de Armando Guebuza. Parece que o povo gosta de líderes presentes, que falam, que dançam que cantam e que comem com ele. Mas porque parecer não é ser, espera-se eventualmente bons momentos entre Moçambique e a África do Sul, embora isso não venha a significar uma automática melhoria das condições do povo.

Tendo o presidente Armando Guebuza terminado a sua viagem ao norte do país, no seu habitual contacto com os cidadãos, ouviu o quanto o povo ainda espera que os dirigentes sejam mais transparentes, prestadores de contas e que reagem em tempo útil às questões sociais a nível local. Pena mesmo é que os indicadores de avanços para cada presidência aberta não estejam abertos a todos.

A gripe suína ainda levanta assuntos. Agora sabe-se que ela partiu de grandes fazendas de criação de porcos e que não foi a primeira vez que ela desponta. Sabe-se também que o medicamente de prevenção dessa gripe é tão caro que eventualmente não será usado pelos pobres, mesmo sabendo que a OMS estime que pelo menos 2 biliões de pessoas venham a pegar a gripe.

Parece que os bloguistas moçambicanos querem constituir um movimento mais sério. Seria uma óptima ideia. Só não sei se não vai desvirtuar o conceito da blogsfera. Eu quero continuar a entrar e a sair do meu blog como se estivesse a agir no meu quintal, em minha casa e, antes que roubem também o animal, depois do racional vou continuar a pregar um movimento de blogistas livres e independentes.

Hoje, 11 de Maio de 2009, passam exactamente 28 anos que Bob Marley passou desta para o alem e mesmo assim, continua a ser um dos mais influentes músicos da humanidade e um dos que mais discos vende. O seu legado aos homens é inquestionável e a sua aceitação em quase todas as culturas do mundo é o sinal da realização do seu sonho: um mundo sem fronteiras, one love, one heart!

3 comentários:

Anónimo disse...

enquanto esse mundo existir acho que nada será mudado e sim cada vez pior,porque as OPINIÕES NUNCA são para o melhoramento da população mas sim do governo

SONIA disse...

Deus deixou a Biblia para o nosso entendimento só que hoje o homem se acha mais inteligente do que DEUS SONIA

Custódio Duma disse...

Ola Sonia,

Concordo muito contigo e pode crer que também sou um ser inquieto pela condicao que vivemos nesta terra.

Contudo, temos sempre que lembrar que os que acreditam em Deus, esses devem ser a luz do mundo. Esses tem a obrigacao de pregar a mudanca, a paz, a verdade e a prosperidade.

Eu ainda acredito numa vida melhor aqui na terra, que será completada na eternidade. Por acreditar, estou disposto a fazer e a dar tudo que eu puder para realizar essa profecia biblica.

Se Deus é connosco, quem será contra nós???!!!