terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Fogo na PGR pode Queimar Palhotas

Teremos bombeiros suficientes?

O Dr Augusto Paulino ainda não tem seis meses como PGR e já divide opiniões. De uma figura quase consensual, depois do julgamento do processo Carlos Cardoso, hoje não se pode dizer a mesma coisa. Se ontem a opinião sobre a sua pessoa era quase clara e quem tivesse algo contra não tinha pretexto para falar, hoje todos os seus detractores tem pretextos.
Não me interessa muito se é ou não verdade o que dizem sobre o PGR, o que me interessa é que o fogo levantado pode queimar muitas palhotas. Veja a seguir:

Em primeiro lugar: A Procuradoria

A Procuradoria é o garante da legalidade em Moçambique, fiscaliza a implementação das leis e assegura que o Estado continue de Direito. Se o que anda na boca do povo e, principalmente em alguns jornais for verdade, então, estamos perante uma crise na casa chamada de PGR.
Afinal de contas, roubando um brocardo evangélico, como é que esperaríamos que um cego guiasse outro cego? Ou seja, como é que esperaríamos que um PGR indiciado em actos contrários a lei fosse garantir a legalidade e um Estado de Direito?
Neste caso essa palhota vai pegar fogo e perderá na totalidade todas as suas virtudes.

Em segundo lugar: A Mídia

A questão em torno do alegado crime cometido pelo PGR está a dividir a mídia moçambicana. A mídia é um quarto poder, pelo menos é o que se assume, depois do executivo, do legislativo e do judiciário. Por assim ser, a sua capacidade de influenciar opiniões é bem gigante, não é por acaso que é o diamante dos políticos e dos empresários.
Uma mídia aparece a condenar o Dr Paulino, outra aparece a inocentá-lo, ou seja, uma mídia está a falar a verdade e a outra está a mentir. Estamos perante um quarto poder dividido entre si. Um quarto poder que esqueceu sua missão de informar, formar e educar o cidadão e dedica-se a guerra.
Roubando outra filosofia evangélica, também aplicada por Abraham Lincoln, diria que uma casa dividida entre si não pode prosperar.
Assim sendo, esta palhota chamada mídia vai pegar fogo e ficar em cinzas.

Em Terceiro lugar: A Justiça Moçambicana

Dizem que foi o Conselho Superior da Magistratura Judicial que deu seu voto de confiança ao Presidente da República na nomeação do Dr Augusto Paulino para o cargo que hoje ocupa.
Na hipótese das acusações que sobre ele pesam virem a ser provadas e, provado também o facto do Supremo ter o prévio conhecimento sobre o referido processo que eventualmente não estava arquivado, então a justiça moçambicana, que já esta manchada por outras situações e casos concretos vai se afundar ainda mais.
Teremos então uma justiça parcial, que defende interesses de minorias e que não zela pelos interesses da nação, nem promove o Estado de Direito. Faço votos, que tal suspeita de que o Conselho Superior da Magistratura Judicial, estava na posse de todos elementos contra, seja realmente falsa.
Porque, sendo tudo verdade, então esta palhota vai pegar fogo e vai demorar apagar-se.

Em Quarto Lugar: O Cidadão

Quando temos uma PGR queimada e uma mídia desacreditada, um judiciário em cinzas, o que esperaríamos como efeitos? No meu entender, o primeiro efeito é que o cidadão fica numa situação de extrema vulnerabilidade e amaldiçoa sua sorte.
Fica arrependido de ter votado num governo que não zela pelos seus interesse, fica revoltado por pagar impostos que são aplicados para fins pessoas e não para investimentos públicos, fica indignado porque todas as garantias constitucionais de que ouve dizer não passam de letra constitucional morta e sem condições de constituírem suportes para uma nação de justiça social, um Estado de Direito.
Não quero acreditar que por isso entraríamos numa situação de caos ou anarquia, mas estaríamos numa situação em que o cidadão pegaria fogo e não imaginamos quais seriam as consequências.

Preferi pensar em palhotas ao olhar para as quatro instituições acima mencionadas, porque nasci e cresci em uma palhota e por duas vezes a palhota pegou fogo. Nas duas vezes que ela pegou fogo não foi possível salvar nada.
Numa das vezes o fogo foi posto por ladrões, era noite e não percebi o que aconteceu, lembro-me somente de largas chamas e de vizinhos a deitarem água sem sucesso.
A outra vez foi de dia e não sabemos de onde veio o fogo. Lembro-me somente que fiquei impotente e assisti sem poder fazer nada, o fogo a consumir a nossa palhota.

Se o fogo pegar, até o Presidente da República se queimará.

Para impedirmos que o fogo pegue, nada melhor que a verdade. Penso que esta não é uma luta de jornais ou magistrados. Esta é uma questão de soberania, uma questão de justiça e verdade. O cidadão tem direito a informação. É importante que alguém venha falar a verdade, seja ele quem for, o próprio Dr Paulino, o Supremo, O Juiz Conselheiro ou o PR. Porque a dúvida é o começo da derrota e a derrota o começo da destruição, então não deixem o povo na dúvida.
O Dr Madeira para deixar as coisas limpas veio e disse a sua justiça, quem não quer acreditar o problema é dele. Isso tranquilizou os cidadãos e impediu que o fogo pegasse, já uma mídia tinha incendiado a palhota.

Embora os casos do paiol, do Ministério da Agricultura, das Bombas da Catembe, entre outros, nos tenham acostumado ao fogo, não creio que estaremos em condições de suportar este, se realmente pegar.

Sempre,
Custódio Duma

5 comentários:

Nelson disse...

O caro Duma, lembrando-se de como muitos outros casos ficaram arquivados dá para pensar que este poderá ter o mesmo destino. É já preocupante por exemplo o silêncio que o cerca. Se como temo esse caso "morrer assim" estamos no fim da picada e como bem dizes ardemos todos mas todos mesmo ficamos em cinzas.

Bayano Valy disse...

bem, não posso concordar taxativamente contigo. é verdade que parte da imprensa inocenta o pgr e outra o acusa. mas não posso daí aceitar que um esteja a mentir outro a falar a verdade. pode ser que cada um utilizando as suas fontes esteja certo - é apenas uma questão de perspectiva.

Custódio Duma disse...

oi Nelson, infelizmente a morte do caso pode eventualmente acontecer, fique contudo claro que a nossa indignação deve continuar.
Nao interessa se há ou nao culpa sobre o PGR, afinal de contas ele tambem goza da presunção de inocencia. So que como o cargo é sensivel precisamos imediatamente de uma explicacao!
Juntos na luta

Custódio Duma disse...

Ola Bayano, tens toda a razao, na verdade eu tmbem concordo contigo, so que há vezes em que me é dificil acreditar em duas verdades diferentes sobre o mesmo facto. Bom para mim fica mais fácil que os dois estejam mentido que os dois estejam falando a verdade. E como dizia o meu professor de filosofia do direito: "o que de graça se diz de graça se nega" ao inves de processar os caras, bastava que o PGR falasse ele mesmo a verdade!

Ivone Soares disse...

Bem dito amigos. Afinal porquê Guebuza não se pronuncia?